Saturday, March 8, 2008

"The Understudy", part 2 (the good nail job)

Depois do desastre com a primeira manicure, no Upper West Side, fiquei sem fazer as unhas por uns 3 meses. Ugh!

Mas não me parecia possível não haver em toda NYC um único nail designer decente, com um gel que não fosse tão horrível quanto o que eles contumam usar por aqui. Alguns minutos no citysearch e eu descobri um Nail Spa que tinha um sistema de gel que é ultra-popular no Japão, CalGel. (sim, eu sei que isso soou como "X faz sucesso no Japão", mas era minha única alternativa naquele momento). Ligo para o tal salão para marcar um horário e confirmar o endereço.

A experiência já começou melhor que a outra. Esse Nail Spa (Sakura Nail Spa) fica no Upper East Side (na 2nd Ave., entre a 88th e a 89th), bem ao lado do Elaine's (aquele restaurante italiano mega-famoso e metido a besta).

Chegando lá, vi que era um spa bem pequeno. E eu era a única não-oriental lá, entre nail designers e clientes. Logo que sentei numa cadeira com uma daquelas almofadinhas japonesas e comecei a folhear a Vogue (o que logo desisti de fazer, porque se tratava da Vogue japonesa e eu não estava interessada em só "olhar as figuras" da direita para a esquerda), a minha nail designer, Lili (ela tem um nome real, em japonês, mas eu não faço a menor idéia de qual é), me trouxe uma xícara de chá verde.

Ela fala inglês. Não muito bem, mas ela conseguiu me explicar o que era o CalGel, como funcionava, quanto custava e entendeu o que eu queria fazer com minhas unhas (incluindo tamanho, cor etc). Ufa! Antes de sair, fui ao banheiro e, depois de lavar as mãos, usei uma das toalhinas de algodão orgânico que eles têm e um dos hidratantes de romã. Now we're talking!

Uma hora e meia e uns 50 dólares depois, saí de lá uma pessoa mais feliz. E com unhas em recuperação (porque elas continuavam em estado deplorável desde a última manicure).

Já voltei várias vezes (vou a cada 3 ou 4 semanas), e sempre faço as unhas com a Lili. Ela me leva chá verde e doces japoneses (daqueles de feijão) quando eu vou lá. É porque ela também trabalha em uma loja de produtos japoneses no Queens (0nde ela mora). E, enquanto eu estava aqui no frio e chuva de NY no início de fevereiro, sem saber se iria poder, de fato, ir para algum lugar durante Spring Break/Páscoa, a Lili passava uma semana de férias nos Poconos, esquiando... Ela também me contou que costuma ir ao Japão uma vez por ano, visitar a família etc.

Acho que encontrei minha versão nipo-nova-iorquina do Ralf.

2 comments:

Fred said...

eles tem outra coisa em comum
ambos devem gostar de homem AHUAHUHAUHAUHAUHAUAUHAUHAUH
eu sou bobo...

AdrenAline said...

Very funny, mas, não. O Ralf é casado com a Vânia, uma brasileira que ele conheceu enquanto eles moravam na Alemanha.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0 Unported License