Tuesday, March 4, 2008

It's the great pumpkin, Charlie Brown!


Acho que todo mundo sabe o quanto eu odeio abóbora! Odeio. Ponto. Nada me faz comer abóbora. E abóbora é "pumpkin", certo? Errado. Mais uma ilusão em que os professores de inglês fazem seus alunos acreditar.

Pois aqui na América existem zilhões de tipos de squash, frutos da família Cucurbitaceae, da qual a nossa abóbora é apenas a pontinha do iceberg. A esta mesma família pertencem os summer squashes (abobrinha e similares, dos quais eu gosto!) e os winter squashes (butternut squash - maior bom! - e a tal abóbora, horrível).

Para esclarecer: a abóbora que eu odeio é a Cucurbita maxima, que é a espécie de "abóbora" consumida no Brasil e que, aqui, não é chamada de pumpkin, mas de buttercup squash. Na França, ela é chamada potiron ("pumpkin", na França, é "citrouille") . O que aqui é chamado de pumpkin (e traduzido genéricamente como "abóbora") é a Cucurbita pepo ou a Cucurbita mixta.

Aí, vocês vão argumentar "potato-potahto", certo? Não. Porque tudo isso foi um prelúdio para eu dizer que tomei sopa de abóbora. E gostei. A Cara fez a famosa receita dela no Thanksgiving. Com pimenta, muita pimenta. Na foto, ela orgulhosa de ter ajudado no meu breakthrough de aversão aos winter squashes. O momento teve que ser registrado, porque todo mundo aqui sabia que eu estava morrendo de medo dessa época de outubro-novembro, quando a América ia começar a ser dominada por esse frutos do mal.

A tempo: a sopa era "pumpkin soup" e não "buttercup squash soup". Continuo não gostando dessa "abóbora" (gerimum?) daí do Brasil.

2 comments:

Fred said...

gosto de abobrinha
odeio aboboras, sejam pumpkins, buttercups, butternuts, e todas essas viadagens
comida laranja só se presta laranja e uns outros

AdrenAline said...

Laranja e cenoura. Só.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0 Unported License