Tuesday, March 25, 2008

The luck of the Irish


17 de março, St. Patrick's Day. Morando em NY, o esperado era que eu fosse colocar minhas 15 camadas de roupas verdes (para suportar os -5ºC daqui), assistir à parada e ir à algum dos 20483 pubs de Manhattan tomar algumas Guinness. Porém, por conta da Páscoa ter coincidido com o início da primavera, a sorte dos irlandeses me trouxe 12 dias de folga. E um convite para passar parte deles longe do frio nova-iorquino e ir para a Flórida.

Passei o St. Patty's em Sarasota, de vestido de verão verde-azulado (sinceramente, roupa verde? St. Patty definitivamente não lia a Vogue) e sandálias, na praia, num bar chamado O'Leary's, na companhia dos O'Leary (não os donos do bar, by the way).

Esse foi o menos tradicional dos St. Patty's que eu já passei: não tomei Guinness nem comi corned beef com coleslaw. Isso porque apesar do nome, o O'Leary's é um tiki bar (um tiki bar é um bar que geralmente segue temas da polinésia e serve drinks exóticos). Para salvar essa alma irlandesa que habita meu corpo luso-libanês, tomei um gole de Bushmills. Já tinha esquecido o quanto whisky (especialmente irlandês) era bom.

For the record, comi um sanduíche de garoupa e tomei uma Yuengling Ale. Muito bons, mas nada Irish. Irish mesmo, só minha sorte de estar a milhas de NY e longe de estar congelando como estavam os participantes da parada por aqui.

No comments:

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0 Unported License