Sunday, August 24, 2008

Houston, we have a problem (or, citywide rodeo)

Bom, depois de toda a aventura para deixar NY e chegar a Houston, o que deu um total de umas 10 horas (desde o momento em que deixei meu apartamento até chegar no aeroporto de Houston), peguei um shuttle para ir à University of St. Thomas, onde fui encontrar com minha amiga.

Como cheguei lá um pouco cedo, dei uma volta antes de me encontrar com ela, mas como o calor estava insuportável - 36 graus com umidade altíssima - resolvi esperá-la lá no curso mesmo. Depois que a aula dela terminou, fomos dar uma volta. Ou melhor, íamos dar uma volta. Porque de repente, o céu ficou preto e vimos que ia começar a chover loucamente (em parte, o normal para essa época do ano em Houston, e em parte por efeito colateral da tempestade tropical Fay). Fomos até a Starbucks mais próxima para pensarmos (no seco) aonde poderíamos ir.

Só que a chuva torrencial não dava nenhum sinal de que ia parar em breve, o que nos fez decidir (depois de eu comprar um guarda-chuva que não serviria de nada, já que as ruas viraram um rio e a chuva vinha de todas as direções) que iríamos ao Galleria, passar o tempo e comer por lá (porque já eram 17h30 anyway). Pedimos informação sobre ônibus e pegamos o 82-Westheimer até lá. Tudo o que eu queria: viajar horas e horas para ir a um shopping gigantesco! Ugh! Mas o clima não estava permitindo nada melhor. Demos uma voltinha, jantamos e minha amiga resolveu que ia embora, porque estava com medo de não conseguir voltar pra casa depois que escurecesse. Tudo bem. Até amanhã!

Só que... "amanhã" não ia rolar. Porque aí ela me falou que iria viajar no dia seguinte. Iria para San Antonio com o pessoal com quem estava hospedada. Genial! Tinha mais um dia inteiro em Houston - que eu tinha planejado passar com ela - para fazer... porra nenhuma, já que Houston é uma das cidades mais sem-graça do mundo. Especialmente se você está sem carro.

Ai, Jesus...

Mas como eu sou uma pessoa de sorte (ainda que essa sorte seja bem relativa), o Respectivo tem uma prima que mora em Dallas e, incrível coincidência, foi passar uns dias em Houston com o namorado justamente quando eu estava lá.

Ela me ligou e combinamos de sair. Eram umas 19h30 e eu sequer tinha ido ao hotel. Tinha ido do aeroporto direto para a escola em que minha amiga estava. Agora - finalmente! - era hora de ir ao hotel, largar a bagagem, tomar um banho e ir aproveitar a noite texana. "Aproveitar a noite texana" é uma expressão fala por si só, mas como eu tenho espírito esportivo, vou detalhar a experiência. No próximo post.

No comments:

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0 Unported License