Thursday, August 28, 2008

A century of fakers (or, me trying to be Lance Armstrong minus the balls. Oh, wait!)

Para quem está achando estranha a foto aí ao lado, eu explico: nas férias, na minha estada no Michigan, viajamos bastante. Um lugar feio que visitamos foi Detroit. Um lugar bonito foi Mackinac Island, que é uma ilha que fica no lago Huron (ums dos 5 grandes lagos, lembram?) entre a Upper e a Lower Peninsula de Michigan.

A ilha é minúscula, mas muito bonita, com várias construções de arquitetura vitoriana. Só que lá não são permitidos carros (= minha idéia do inferno). Apenas cavalos e bicicletas. Então, como fazem todos os turistas na ilha, planejamos alugar bicicletas. Ok. Só que a special ed aqui não sabe andar de bicicleta. E aí, como faz?

Como vocês vêem na foto, tem jeito pra tudo nos EUA. Respirei fundo e resolvi aproveitar as horas a pé que me restavam. Depois de pegarmos o Ferry Boat (catamarã, na verdade, acho) até a ilha, almoçarmos e darmos uma volta a pé (visitamos o forte e tal), chegou o meu momento de agonia: alugar bicicletas e pedalar por todo o perímetro da ilha (i.e. 4 milhas = 6,44 km!).


A mãe, o pai e a irmã do Respectivo alugaram super-bicicletas de 3 marchas e sei-lá-o-quê. O Respectivo foi legal o suficiente para passar vergonha comigo em uma tandem bike. Aquelas bicicletas para dois, sabem? Pois é, pessoal... pois é.

Em minha defesa, eu não trabalho com bicicletas porque... bem, porque eu só trabalho com carros. Sei até consertar um, se precisar. Qualquer coisa que tenha uma quantidade de rodas que me dê estabilidade parada ou em movimento eu aceito. Duas rodas fininhas, não! Bicicleta não é essencial na vida de ninguém. Como eu tenho um par de pernas e pés que me servem razoavelmente bem (têm aguentado as 3 milhas de corrida diárias), posso chegar onde eu quero sem uma bicicleta. E, se o lugar aonde eu vou é suficientemente longe para os meus joelhos levemente tortos não aguentarem... bem, é pra isso que existe carro.

Ninguém foge de um roubo a banco de bicicleta; faz uma perseguição policial de bicicleta (a não ser na China, talvez; mas a China não conta, porque eles vivem de cabeça pra baixo, mesmo!). Já viram a vida de alguém depender de uma bicicleta? Nadar sim é importante! - E isso eu sei fazer, by the way (antes que perguntem...). - Vai que você está em um barco e ele afunda, sei lá eu...

Fato é que pedalamos as tais quatro milhas inteiras, coordenando cada girada de pernas. Eu, obviamente, morrendo de medo de cair da bicicleta e morrer. Morrer! Sim, eu sei que é surreal, já que o máximo que poderia acontecer (e isso na pior das hipóteses) era eu cair da bicicleta e ser atropelada por um cavalo em fúria. Mas acho que tenho bicicletofobia, i.e. medo irracional de bicicletas. Segurei tão forte no guidão (como se isso fosse me impedir de cair! Ha!), que depois de uma hora pedalando, meus dedos quase se separaram da palma da minha mão.

Mas o importante é que eu sobrevivi! E que agora posso dizer que já andei de bicicleta de verdade (a minha última vez tinha sido em uma bicicleta com rodinhas, quando eu tinha uns 5 ou 6 anos, acho).

Ah, e a ilha? É muito bonita. Muito bonita mesmo, embora eu não tenha reparado muito na paisagem enquanto pedalava, pra garantir que eu não ia cair e - consequência óbvia - morrer! Mas se você for um destemido ciclista e estiver perto dos grandes lagos, passe em Mackinac Island, coma na Yankee Rebel Tavern, que tem uma ótima Walnut Summer Salad e um potato leek chowder beeem competente. Para uma comida incomparável, a parada obrigatória é o Village Inn, onde ninguém pode deixar de experimentar o planked whitefish, prato-assinatura do lugar, embora aparentemente tudo o que saia da cozinha lá seja excelente. Não à toa, é o melhor resturante da cidade.

E se você não tiver medo de passar vergonha similar à minha com a bicicleta, aproveite e compre fudge no Murdick's - e não no Ryba's, como as pessoas insistem em recomendar. E não ligue para as pessoas que vão te chamar, pejorativamente, de fudgie. É menos pior que não saber andar de bicicleta. Eu prometo!

No comments:

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0 Unported License