Tuesday, February 9, 2010

I had a flame, but she had a fire

Continuando a saga mexicana...

Depois que eu apresentei meu trabalho na conferência, fui explorar Morélia. Essa foto aqui dá uma idéia de qual é a da cidade.



Os únicos problemas do México, ao meu ver, continuam sendo os clássicos: a) o México está cheio de Mexicanos (a maioria dos acadêmicos mexicanos que eu conheci - não muitos, na verdade, porque a maioria do pessoal na conferência veio de outros países - era bem interessante, mas o povo na rua é bem trash. Sou mais a Rocinha.) e b) a galera lá só come milho!

Olha só: fui a vários restaurantes chiques, altamente recomendados por sites de gastronomia, guia de viagem etc. e pedi os pratos sugeridos por serem os melhores. Não deu certo. Tentei os restaurantes populares (também conhecidos como "culinária tru"). Nada. Mesmo sem saber o que as palavras significavam (não apenas porque meu espanhol ainda beira o sofrível, mas porque os pratos tradicionais pré-colombianos têm sílabas impronunciáveis), fiz pedidos randômicos. Em todos os casos, eu invariavelmente recebi uma porção de... MILHO! Cozido, assado, frito, estilo pamonha, doce, salgado. E isso para o café-da-manhã, almoço e jantar!

Fiquei só 3 dias no México, mas, quando voltei para NY, nunca tive tanta vontade de comer algo não-milho! Mesmo que fosse frango! (e olha que eu a-bo-mi-no aves!)

Então, pessoal, "fica a dica": se for ao México, vá a Morélia. Se for a Morélia, traga sua garrafinha d'água e sua lancheira cheia de comidinhas!

No comments:

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0 Unported License