Thursday, April 8, 2010

And when it comes, always too late (or, I sometimes miss some people)

Na quarta-feira à noite, o Respectivo e eu fomos jantar (hmmm! Comida mexicana!) com um amigo nosso, que andava sumido há um tempão. Aí eu lembrei porque às vezes dava tantas saudades dele. Um trecho do diálogo:

Ele:
Eu odeio o pós-estruturalismo. É a coisa mais idiota que há. Um cara vai, e nota que o mundo está em crise. Aí, ele vai e escreve um livro reclamando de tudo e de todos, reclamando da vida... Ah! Genial!

Eu:
É. Reclama, reclama, e depois se joga pela janela!

Ele:
Pois é! Tenta vender essa coisa de desconstrução, crítica social... E se acha melhor que todo mundo, porque enxerga o mundo com esse lente pós-estruturalista. Se acha melhor e se mata! É, acho que não, cara. A gente não vê o Buda se matando por aí, vê?

É. Algumas vezes au até gosto das pessoas...


No comments:

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0 Unported License