Saturday, August 21, 2010

The Loneliness of a Middle Distance Runner (or, my first-ever 5K)


Depois de mais uma pausa, os posts voltam hoje, retroativamente (e aos poucos).

Hoje foi um daqueles dias de epifania na vida do meu Dasein: minha primeira corrida de rua official, aqui em NY. Há mais ou menos dois anos, comecei a correr mais a sério (cheguei a fazer no mínimo 5Km por dia), num pique de tentar correr a São Silvestre. Como alegria de pobre dura pouco, obviamente, não rolou (por motivos metafísicos do naipe Nostradamus/provérbio iídiche). Mas me mantive num ritmo de correr uns 5Km pelo menos umas três vezes por semana. Isto é, até fevereiro desse ano, quando a maré bateu na bunda, e foram chegando as monções da vida.

Aí, não corri mais. Rolava um jogging de vez em nunca, mas só. Nas minhas férias pela Europa, em junho, o Respectivo e eu andamos bastante (bastante = uns 25Km/dia), tanto na cidade (asfalto) quanto em trilhas, tal. Deu pra variar os ambientes e obstáculos. Mas isso foi o ápice das minhas atividades físicas dos últimos três meses.

Tem umas três semanas, vi que ia ter essa corridinha no Harlem. Uma 5K tranquilinha, sábado (hoje, no caso) de manhã. Deu vontade, mas acabou que nem me inscrevi. Mas, essa semana, um amigo meu, K., que é um corredor bem mais sério que eu, me perguntou se eu tinha me inscrito. Aí bateu aquele peso na consciência: fui lá (à internet - site da New York Road Runners) e me inscrevi. Ok, agora eu só tinha que me preparar. Tempo total: 3 dias.

O detalhe é que um programa clássico de "couch to 5K" leva, em média nove a dez semanas. O que eu poderia fazer em mais ou menos 1/24 do tempo? Rezar. E consumir uma quantidade decente (=alta) de proteína antes e depois da corrida. E rezar mais.

Depois de encontrar com a Manoela ontem à noite (sushi no Upper West Side, outra história, que deverá ser contada em outra ocasião), cheguei em casa, dormi e me preparei para acordar cedinho, para chegar ao Harlem às 8h00.

Cheguei lá, encontrei K., que ia correr em uma bateria à frente, com o pessoal mais rápido, e, às 8h30: largada!


3.1 milhas (5Km) e 36 minutos e 58 segundos depois: ufa! Acabou. Sobrevivi às subidas e descidas da região do St. Nicholas Park, e o dinheiro da minha inscrição foi para ajudar as criancinhas no Haiti, tal. K. e eu, que pretendíamos tomar uma cerveja depois da corrida (pau que nasce torto morre torto...), depois de andarmos e não encontrarmos nenhum bar aberto (pudera! Eram 9h30!!), voltamos para o Bronx. Fim.

Apesar da falta de preparo físico (e do calor, e da umidade, etc.), deu para manter um ritmo decente e não morrer (não morrer sempre é meu objetivo prioritário - regra para a vida). As endorfinas ajudaram o corpo a aguentar bem até umas cinco da tarde, quando meus quadris começaram a questionar essa minha vibe de correr sem estar sendo perseguida. E o Respectivo só volta pra NY na semana que vem. Ou seja: não vai rolar nem uma massagem para ajudar. Mas sempre tem o plano B: Ibuprofeno. Meu melhor amigo.

O mais interessante é que, depois disso, ainda fui a NoHo, dei uma volta no Central Park, encarei a multidão no Wholefoods para comprar peixe fresquinho, e voltei pra casa.

Saldo do dia: 5Km corridos, uns 5Km (com obstáculos = multidão) caminhados, uma barrinha de proteína, um litro d'água, 700ml. de água de côco, uma refeição decente (com muita, muita proteína do bem), endorfinas no talo, e pernas que parecem um bonequinho de vodu. E viva!

No comments:

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0 Unported License