Friday, September 10, 2010

The game (or, it must be love)


Depois de anos de enrolação, finalmente consegui ir assistir ao U.S. Open ao vivo, in loco.

A gente acaba comprando os ingressos "no escuro", já que a programação dos jogos vai saindo conforme os jogos vão rolando, alguns jogadores são desclassificados, e outros vão em frente. Comprei ingressos para domingo, 5 de setembro, para a sessão da noite. No sábado, descobrimos quem ia jogar. Primeiro, Mikhail Youzhny x John Isner. Depois, Samantha Stosur x Elena Dementieva.

O Respectivo e eu resolvemos que só assistiríamos ao primeiro jogo, já que os jogos são em Long Island, lá no finalzão do Queens, depois do Shea Stadium (casa dos NY Mets).

A viagem até lá foi razoavelmente longa, e o metrô estava bem cheio. Quando chegamos lá, achei a coisa bem mais organizada do que eu esperava. O local é enorme, dentro de um parque, e é também um grande shopping a céu aberto.

O Respectivo odiou essa coisa de parecer um shopping, e a idéia de eles venderem ingressos que só dão acesso à área geral dos eventos, mas não às quadras dos jogos, i.e. a pessoa paga para entrar na área geral, ver e ser vista, e assistir ao jogo em um telão. Mas, sei lá, acho que é uma coisa do tênis. E eu até que curti a idéia das lojinhas, apesar de mal ter olhado as vitrines e, obviamente, não ter comprado nada.

O jogo foi bom. Foi um tanto emocionante, porque rolaram alguns tie-breakers, tal. E o Respectivo e eu éramos, provavelmente, as únicas pessoas torcendo para o russo, que acabou ganhando. Afinal, por que não?


Saímos de lá umas 22h30. A volta para casa foi mais chata - pareceu demorar para sempre, e estávamos ultra cansados, mas, no geral, gostei do evento, da organização, e do fato de o público ser bem mais light que em jogos de baseball ou futebol.

Devia ter iniciado esse hábito antes, porque, daqui pra frente, a viagem para Long Island vai ficar mais longa e cara...

Wednesday, September 8, 2010

Weekend wars (or, one more visit!)

Falei de bad timing num post anterior. Mas acho que isso está se resolvendo. Bom, meio que.

E daí que, no início de setembro, o Goommer resolveu vir pra Miami, do nada. E depois resolveu dar uma esticada até NY e passar uns dias aqui. Eba! Visitas!

Mas foi bem no final de semana do Labor Day, quando minha vida estava um pouco atrapalhada, porque o Respectivo tinha acabado de voltar para NY (férias longas, maravilha), e eu tinha comprado ingressos para um dos jogos do U.S. Open.

Mas deu para aproveitar a visita, com direito a Guinness no Gin Mill, brunch no Blue Water Grill, parada para comprinhas na Saks e na Bloomingdales, essas coisas. E até demos uma passada no na muvuca do Brazilian Day (sim, era bem naquele fim de semana, também). Um caos SEM guaraná Antarctica. Tentaram nos empurrar um guaraná Schin (Schin!), e minha resposta foi um sonoro "Nem f...". É, as coisas geralmente não saem como esperado.

Pena que foi um fim de semana meio atribulado. E que minha casa estava uma bagunça. Mas valeu a visita surpresa. Acho que deu para a gente se divertir e para compensar um pouco as noites de All Black, O'Malley's, Bar da Dida, NaMata...
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0 Unported License